Conectate con nosotros

CDE News

As mulheres convidadas para a equipe de transição do governo Bolsonaro

Publicado

en

As mulheres convidadas para a equipe de transição do governo Bolsonaro

Da esquerda para a direita: a economista Clarissa Gandour, a tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do DF Márcia da Cunha, a tenente da reserva Liane Fernandes Costa Silva e a tenente Silvia Nobre Waiãpi: Quarteto foi convidado para o governo e aguarda nomeação
Após um primeiro anúncio de 28 nomes para a equipe de transição de governo em que constavam apenas homens, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) convidou quatro mulheres para compor o time.

Três delas têm experiência na carreira militar e uma é economista com especialização em meio ambiente. As nomeações ainda não foram publicadas no Diário Oficial e a assessoria da equipe de transição não confirmou como elas atuarão e se terão remuneração.
PUBLICIDADE.

Segundo apuração da BBC News Brasil, a economista Clarissa Gandour atuará como voluntária, enquanto a tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal Márcia Amarílio da Cunha Silva ficará cedida pela corporação, mantendo seu salário atual.

Na quarta-feira, Bolsonaro anunciou também a primeira mulher que será ministra de seu governo. A deputada Tereza Cristina (DEM-MS) comandará a pasta da Agricultura, que não deve mais incorporar o Ministério do Meio Ambiente, como originalmente anunciado.

“Não estou preocupado com a cor, sexo ou sexualidade de quem está na minha equipe, mas com a missão de fazer o Brasil crescer, combater o crime organizado e a corrupção, dentre outras urgências”, escreveu o presidente eleito em seu Twitter.
PUBLICIDADE.

Nesta quinta, a assessoria da equipe de transição divulgou foto de uma reunião geral em que havia apenas homens, entre eles os futuros ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Paulo Guedes (Fazenda) e Sergio Moro (Justiça).

A expectativa é de que mais mulheres sejam anunciadas para a equipe de transição. Confira abaixo o perfil das quatro primeiras.

Márcia Amarílio da Cunha Silva

A tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal Márcia Amarílio da Cunha Silva Amarílio, por enquanto, está colaborando com a equipe de transição na área de educação
Primeira mulher convidada para a transição, Márcia Amarílio da Cunha Silva é tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. Ela passou a colaborar na construção da candidatura de Bolsonaro há cerca de um ano.

Silva participava das reuniões semanais organizadas pelo general da reserva do Exército Augusto Heleno, que deve assumir o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) no próximo governo. Bolsonaro costumava comparecer até sofrer um atentado em Juiz de Fora (MG), em setembro.

A tenente contou à BBC News Brasil que, nessas reuniões, participou dos grupos de educação, meio ambiente e segurança pública, levantando informações para subsidiar a campanha e o plano de governo.
PUBLICIDADE.

Com 25 anos de Corpo de Bombeiros no DF, ela hoje comanda o Centro de Ensino de Altos Estudos Oficiais da corporação, que cuida da formação de capitães e coronéis. Tem também vasta experiência na área política, tendo atuado por 15 anos – sete deles como chefe – na equipe de assessoria parlamentar do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil.

Ela está, por enquanto, colaborando com a equipe de transição na área de educação e ficará cedida pelo Corpo de Bombeiros, mantendo seu salário atual, sem acumular nova remuneração.

Na sua visão, a imprensa se precipitou ao destacar a falta de mulheres na equipe quando os primeiros nomes da equipe de transição foram anunciados. “Acho importante a participação de mulheres porque o Brasil é feito de diversidade”, ressaltou.

Clarissa Costalonga e Gandour

Clarissa Gandour foi convidada para trabalhar na área de meio ambiente durante a transição
Clarissa Costalonga e Gandour é economista especializada em monitoramento da eficácia de políticas públicas para preservação do meio ambiente. Ela tem graduação, mestrado e doutorado na faculdade de economia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Atualmente, é analista sênior do escritório carioca do CPI (Climate Policy Initiative), onde coordena o desenvolvimento de projetos estratégicos. Junto com seu professor na PUC-Rio e chefe no CPI, Juliano Assunção, e outros pesquisadores, realizou um estudo que levantou o impacto bem-sucedido de ações de preservação ambiental durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo esse levantamento, políticas públicas como o acompanhamento contínuo do desmatamento via satélite, fortalecimento das operações de fiscalização, criação de novas unidas de preservação e restrição do acesso ao crédito rural por fazendeiros na região amazônica evitaram aproximadamente 62 mil km2 de área desmatada entre 2005 e 2009.

Em vídeo disponível no YouTube, Gandour explica as conclusões do estudo em inglês fluente, em intervalo da conferência da ONU sobre o clima de 2012 em Doha, no Catar.

À BBC News Brasil, a pesquisadora confirmou por email ter sido “convidada a contribuir com a transição em caráter voluntário no grupo de trabalho de meio ambiente”.

“Ela é uma economista com treinamento excepcional em avaliação de políticas públicas”, afirmou à reportagem seu professor Juliano Assunção.

“Acho que a participação da Clarissa só faz sentido se o governo desejar aprimorar as políticas de combate ao desmatamento, porque todo o trabalho que ela fez ao longo da trajetória profissional dela diz respeito à mensuração do impacto dessas políticas e mecanismos sob os quais essas políticas podem ser aprimoradas”, acrescentou.

Silvia Nobre Waiãpi

A tenente Silvia Nobre Waiãpi foi a primeira indígena a ingressar no Exército. Ela é também artista, atleta e fisioterapeuta
A tenente Silvia Nobre Waiãpi, primeira indígena a ingressar no Exército, tem uma história de superação e versatilidade – é artista, atleta e fisioterapeuta.

Entrou para as Forças Armadas em concurso de 2010 e hoje é chefe do Serviço de Medicina Física e Reabilitação em Fisioterapia do Hospital Central do Exército no Rio de Janeiro.
PUBLICIDADE.

Nascida no interior do Amapá, deixou a aldeia de seu povo, os Waiãpi, para o Rio após ser mãe aos 13 anos.

“Vim sozinha. Não conhecia ninguém, dormi nas ruas por alguns meses. Eu tinha uma pedra, que acreditava que era sagrada, e a vendi para comer. Com aquele dinheiro eu consegui comer uns dois dias. Depois, comecei a vender livros de porta em porta”, contou ao portal UOL em 2011.

Ainda segundo essa reportagem, Waiãpi se interessou por poesia ainda adolescente. Depois, passou a escrever e foi premiada com a medalha Cultural Castro Alves, a medalha Monteiro Lobato e também um prêmio de jovem escritora da Academia Literária Feminina do Rio Grande do Sul.

Mais recentemente, atuou na minissérie da Rede Globo “Dois Irmãos”, transmitida em janeiro de 2017. Ela interpretou a personagem indígena Domingas, que é tirada de sua tribo para trabalhar como doméstica.

À reportagem do UOL em 2011, Waiãpi contou também ter voltado poucas vezes a sua aldeia. “Quero abrir uma nova ponte para mulheres índias no Brasil, não só nas Forças Armadas, mas em outros segmentos. Já tenho amigas que disseram que agora vão se preparar para entrar nas forças”, afirmou.

A coordenadora executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e candidata à vice-presidente pelo PSOL na eleição deste ano, Sônia Guajajara, disse à BBC News Brasil que a nomeação de Waiãpi não altera em nada sua visão de que o governo Bolsonaro representa uma ameaça aos índios.

“Ela (Waiãpi) tem origem indígena, mas não é uma liderança, nem fala em nome dos povos indígenas. Isso (a nomeação) de jeito nenhum vai significar o apoio dos povos indígenas a esse governo. Somos um dos alvos prioritários”, ressaltou.

A BBC News Brasil fez contato com Waiãpi por meio de sua página oficial no Facebook, mas ela disse que não poderia conceder entrevista sem autorização do Exército.

Liane de Moura Fernandes Costa

Liane de Moura Fernandes Costa é mais uma mulher da equipe de transição egressa da carreira militar. Formada em 2007 no curso de Engenharia Ambiental da Fundação Universidade Federal do Tocantins, com especialidade em construções sustentáveis, ingressou em 2009 no Exército, onde atuou na seção de meio ambiente do Departamento de Engenharia e Construção (DEC).

Deixou a instituição há pouco, depois de concluir o tempo máximo de oito anos de serviço nesse tipo de contratação, e está atuando como estagiária na área de engenharia do Ibama. É hoje tenente da reserva.

Costa possui também licenciatura em Educação Profissional pelo Instituto Federal de Brasília (IFB) e já foi professora substituta do Curso Técnico em Controle Ambiental na mesma instituição, ministrando aulas de Tratamento de Água, Introdução ao Controle Ambiental e Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

A tenente da reserva costuma participar em Brasília de ações voluntárias de coleta e reciclagem de resíduos. Entre vídeos de Carnaval de r
ua no interior do Tocantins e sobre práticas ambientais, também curtiu em seu canal no YouTube um registro do ano passado em que o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL) rebate fala de uma líder estudantil crítica ao projeto Escola Sem Partido em audiência na Câmara dos Deputados.

Costa atendeu ligação da reportagem, mas explicou que estava orientada a não conceder entrevistas sem prévia autorização. Disse apenas que foi convidada a prestar assessoria na área ambiental.
Fonte: BBC Brasil

PUBLICIDADE.

Sigue leyendo
Anuncio
Comentarios

CDE News

Roberto Carlos deleitará a Paraguay con sus grandes éxitos

Publicado

en

Cuando era un chiquillo -como menciona en una de sus más destacadas canciones “El gato que está triste y azul”- soñaba con ser famoso y lo logró gracias a su gran talento. Roberto Carlos, hoy con 59 años de carrera, es ídolo de la canción latinoamericana y artista consagrado. Despierta el cariño, admiración e idolatría en los millones de fans y está de vuelta por Paraguay en el marco de su gira “Amor Sin Límites”. La cita está marcada para el sábado 4 de mayo, en el recientemente inaugurado Arena SND, de la Secretaría Nacional del Deportes.

A lo largo de su historia musical, Roberto Carlos ha deleitado a su público, sobre todo al femenino. Muchas canciones están dedicadas a las mujeres. “Lady Laura, abrázame fuerte, Lady Laura y cuéntame un cuento..”, es un tema inspirado en su máxima admiradora, y el primer amor de su vida, su madre, Laura Moreira Braga. La clásica “Amada Amante” fue uno de los primeros éxitos del cantante.

La lista de “hits” sigue con “Mujer Pequeña”, “Una en un millón”, “La distancia”, “Camionero” y el infaltable “Detalles”. El gran artista brasileño, estará complaciendo con estos y otros éxitos, a todos sus más fieles seguidores.

Actualmente, Roberto Carlos se encuentra con la gira en diferentes ciudades de Estados Unidos.

Figura de G5pro e InOut Music
En el escenario estará promocionando su primer álbum en español, luego de 25 años. Las entradas con cupo limitado pueden ser adquiridas en todos los puntos de Ticketea. El evento es una Co-Producción de G5pro e InOut Music.

Los precios por sectores son los siguientes: VIP PLATINO, G. 2.750.000; VIP ORO, G. 1.750.000; VIP PLATA, G. 1.000.000; VIP BRONCE, G. 650.000; PREFERENCIA VIP A y B, G. 700.000; PREFERENCIA A y B, G. 600.000; LATERAL A y B, G. 300.000 y PLATEA, G. 250.000.

Sigue leyendo

CDE News

Paraguay acogerá la próxima cumbre de Prosur

Publicado

en

Mario Abdo Benítez, presidente de la República. Foto: Presidencia.
Mario Abdo Benítez, presidente de la República. Foto: Presidencia.

El presidente Mario Abdo Benítez anunció que Paraguay será la sede de la próxima cumbre de Prosur, el organismo creado en Santiago para renovar la integración suramericana.

FUENTE: EFE

  •  0
  • HACE 40 MINUTOS

Paraguay también ejercerá la próxima presidencia pro témpore, aunque como advirtió Abdo Benítez, todavía tiene que ponerse en marcha este Foro para el Progreso de América del Sur (Prosur), suscrito hoy por los jefes de Estado de Argentina, Brasil, Chile, Colombia, Ecuador, Paraguay y Perú, más el embajador de Guyana en Chile.

La propuesta de elegir a Paraguay surgió del presidente de Argentina, Mauricio Macri, y fue secundada por su par colombiano, Iván Duque, con el visto bueno, por unanimidad, de los demás asistentes.

“Es un reconocimiento al liderazgo que tiene hoy Paraguay en la región”, afirmó el mandatario paraguayo.

Abdo Benítez espera que esa futura cumbre de Prosur llegue antes de que “pase más de un año”, tiempo estimado para poner en marcha este mecanismo y que las Cancillerías de los respectivos países trabajen la redacción de los documentos pertinentes.

El paraguayo calificó de “reunión histórica” el encuentro de hoy en Santiago de Chile y repitió que la creación de Prosur era importante para desprender la “contaminación ideológica” que, a su juicio, tenía la Unión de Naciones Suramericanas (Unasur).

“Unasur fue absolutamente contaminado ideológicamente. Nosotros creemos en la integración de Sudamérica y Prosur puede ser una herramienta nueva”, aseguró.

En su opinión, Prosur carece de tintes ideológicos y permitirá la integración regional, más allá de las alternancias democráticas de cada país.

Prosur emerge con esta voluntad, si bien la mayoría de sus países impulsores son Gobiernos mayoritariamente de centro y de derecha.

La Declaración de Santiago que otorga carta fundacional al Prosur no hace mención alguna a la crisis de Venezuela, pero durante las conversaciones que mantuvieron las autoridades reunidas se denunció que el presidente venezolano, Nicolás Maduro, está intentando desestabilizar la democracia regional en la región.

El Prosur es fruto de la primera reunión de presidentes de Suramérica que tiene lugar desde la última cumbre de la Unión de Naciones Suramericanas (Unasur), que data de 2014, celebrada este viernes en la sede del Gobierno chileno, el Palacio de La Moneda.

Sigue leyendo

CDE News

Más de 7.100 familias ya fueron asistidas en todo el país tras inundaciones

Publicado

en

22 marzo, 201974

Foto SEN.

Asunción, IP.- El conteo de familias afectadas por las inundaciones, desde el viernes pasado, suman en una semana 8.877, de las cuales 7.159 fueron asistidas por el operativo encabezado por la Secretaría de Emergencia Nacional (SEN).

El jefe de gabinete de la SEN, Miguel Kurita, aclaró que de la cifra de familias afectadas no todas solicitan la asistencia de la Secretaría, consistente en colchones, frazadas, chapas de fibrocemento y kits de alimentos.

De todas formas, la SEN ha distribuido más de 117 toneladas de alimentos, de los cuales unos 19.860 kg fueron distribuidos mediante el puente aéreo establecido para la comunidad de Paso Barreto.

Esta comunidad, así como otras en Concepción, quedó totalmente aislada por lo que se contó con la cooperación de un helicóptero de las Fuerzas Armadas para la distribución de alimentos.

Kurita detalló que se priorizó la entrega de kits de alimentos vía aérea, en tanto que otros elementos, como colchones, frazadas y demás, fueron entregados por medio de lanchas.

Agregó que está en proceso de asistencia el traslado de medicamentos, también vía aérea, a solicitud del Hospital Regional de Concepción.

Otros sitios de asistencia

Durante la conferencia de actualización del operativo de emergencia, Kurita señaló que queda pendiente la asistencia en la comunidad de Carmelo Peralta, Fuerte Olimpo, Puerto Casado y otras de Alto Paraguay, a las que aún no se pudo llegar en su totalidad.

La principal dificultad es la falta de caminos transitables, que se vieron afectados por nuevas lluvias entre el miércoles y jueves en toda la región norte.

En la cuenca del Pilcomayo, también se dio la situación de inundaciones y las entregas de alimentos iniciaron este viernes, afirmó Kurita, en algunos casos a través del territorio argentino.

Se llegaron a más de 1.200 familias de comunidades, indígenas y no indígenas, en localidades como Km 4, Laguna Escalante, General Díaz, Tte Esteban Martínez, San José Estero de Boquerón, Medialuna y Cacique Sapo.

Otras zonas afectadas fueron los departamentos de Guairá, Paraguarí, Cordillera y Central, en donde se asistió a cerca de 1.500 familias, informó el jefe de gabinete de la SEN.

La conferencia fue realizada por Kurita y el jefe del Gabinete Civil del Ejecutivo, Julio Ullón, para brindar los últimos avances en el operativo de asistencia en todo el país.

En estas conferencias se informó que la previsión meteorológica indica que en los primeros días de abril se tendrán lluvias intensas como las registradas el viernes pasado, que podrían ocasionar inundaciones y crecidas.

Sigue leyendo

Más popular